Estamos ricos para gastar com os jogos olímpicos

É Rio de Janeiro, seu valor é inestimável, e, aparentemente o preço de tudo por essas bandas, é só olhar o valor do metro quadrado e  de um simples cafezinho em qualquer boteco.

O motivo: além da beleza natural (inquestionável) e sua vocação para o turismo (inquestionável), a principal razão apontada é a valorização que os jogos olímpicos trarão, será??

Muitas vezes me pergunto, ó nobre cidade, seus planejadores já foram a outras cidades turísticas internacionais e viram o que tem lá? Perceberam que os hotéis são melhores e mais baratos? Notaram que existe uma boa estrutura de segurança, urbanismo, transportes e que os preços não são tão absurdos?

Continuo me questionando, ó cidade maravilhosa, não era bem mais interessantes gastar toda essa grana exatamente nessas áreas que mais atraem os turistas: segurança, boa rede de hotéis e resorts e novas atrações turísticas..

O que não daria para fazer com esses R$ 36 bilhões?? Quanto não poderia ser fomentado de verdade na cidade??

Para advinhar seu futuro, trouxe imagens presentes de um passado parecido com o seu, imagens de cidades que sediaram eventos olímpicos.

Los Angeles - 1984 - Parque Olímpico



 Atenas - 2004 - Estádio de Softball


 Sarajevo -1984 - Olimpíadas de inverno 



Berlin - 1936 - Vila Olímpica


Sochi - 2014 - Vila Olímpica "fantasma"


Cidade do México - 1968 - Cinema da Vila Olímpica




É nobre carioca, esses jogos olímpicos estão deixando o Rio de Janeiro rico ou Bolhudo?

No fundo, no fundo eu acho que... alguém está ficando rico, e não é o povo carioca...

Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Comparação de preço de imóveis - Hawaii e Recife



Grande magnata endinheirado brazuquinha!

Para aqueles que curtem as comparações de casas, hoje prometo que vão ter uma bela surpresa, pois o post é chique, meu povo.

Vamos a duas praias maravilhosas e top, que tal??

Como não pensamos pequeno, vamos direto ao Hawaii, tá bom? Espero que sim!

Achei uma casinha bem interessante em Princeville, próximo ao Hanalei Bay Resort, olhem a fotinho do Resort:




Ou seja,  na praia Hanalei, que já foi eleita a praia mais bonita do mundo e foi escolhida a praia número um do mundo pelo Stephen Leatherman  (Dr. Beach).


Tá bom, já vimos que a praia é top... coisa e tal, mas...

Vamos então a casinha??

As fotos não ajudaram muito, mas dá para ter uma ideia...









É uma casa de 3 quartos e 170 m2.

Segundo o anúncio, no segundo andar é possível ver o pôr do sol e o oceano.

Faltou a passeadinha na vizinhança, né??




Quanto custa???

Você pode adquirir essa casa por R$ 2 milhões...

Tá caro para o meu bolso,  mas eu sou pobre, ao contrário da maioria do nosso povo que consegue pagar 500 mil "facinho, facinho".

E pras bandas de cá?? Será que eu encontro algum bom imóvel pelo mesmo preço?

Claro que sim!!

E meu destino escolhido foi outra bela praia:  Boa Viagem - Recife.

Destino certo de vários turistas e sonho de consumo da classe média pernambucana, que tal?






E quanto será que tá uma casinha nesse paraíso tropical??

Achei uma que cabe certinho no bolso, nobre magnata!

Olha só:

Bela casa, com 145 m2, 3 quartos e dependência de empregada!





A passeadinha na vizinhança...




Quanto custa???

R$ 2,2 milhões... um pouco mais cara que a gringa... obviamente, pois temos uma infraestrutura de praias muito melhor que o Hawaii, né??

E aí?? "Tamu ou não tamu" ricos?

Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Fonte:
http://www.webcasas.com.br/casa-residencial/boa-viagem/recife/pe/2043185/?tiponegocioid=1&botaoSimulacao=True

http://www.zillow.com/homedetails/5275-Honoiki-Rd-Princeville-HI-96722/732092_zpid/

O MERCADO IMOBILIÁRIO NÃO É NO MOMENTO UM BOM INVESTIMENTO


Então pessoal, continuando meu comprometimento com o público do blog, continuo postando notícias do mercado imobiliário, mas prometo que essa semana ainda coloco mais uma comparação.

Então...olhem aí a entrevista do Prof. Samy Dana a Epoca Negócios:

"Está na dúvida se compra ou não um apartamento? Então talvez seja melhor pensar mais um pouco. Samy Dana, professor da FGV e especialista em finanças, participou nesta quarta-feira (27/08) de um bate-papo no Facebook de Época NEGÓCIOS . Respondendo a dúvidas de leitores sobre o mercado imobiliário, ele foi categórico: não é um investimento que ele recomenda neste momento e os preços vão cair mais.
"Já faz um ano que os preços anunciados sobem menos que a inflação. Na prática, isso quer dizer queda relativa. Além disso, os descontos aumentaram muito. Há casos de pessoas que conseguiram mais de 30% e cada dia ficam mais presentes os feirões e leilões com 'ofertas imperdíveis'. Acredito que os preços vão continuar caindo pois, em média, estão muito acima da realidade de renda da população e do equilíbrio macroeconômico", afirmou.
Ele concorda que há uma bolha imobiliária no Brasil e diz que ela só desinflou um pouco. "Mas ainda não chegamos a um preço adequado", defende.
Por isso, Samy diz que nesse momento imóveis não são um bom investimento, nem os fundos imobiliários. Para quem tem dinheiro na mão, o ideal é "aproveitar que moramos no país que possui a maior taxa de juros do mundo". Entre os investimentos que ele sugere, estão CDBs que paguem acima de 98% do CDI, Tesouro Direto e LCIs e LCAs que paguem mais de 85% do CDI. Vale lembrar que, para os dois primeiros, o ideal é investir por pelo menos dois anos para atingir o menor valor de tributação do Imposto de Renda (15%).
Samy não vê melhora no curto prazo para o mercado imobiliário. "Os preços já estão caindo e acredito que cairão ainda mais. O cenário econômico está ruim e nada leva a crer que teremos uma melhora em 2015, independente do ganhador da corrida presidencial".
DicasPara quem, apesar da recomendação, quer comprar uma casa em breve, o especialista dá algumas dicas. Para adquirir um imóvel, o ideal é ter pelo menor 30% de seu valor total para a entrada. Ou seja, se o imóvel custa R$ 400 mil, junte pelo menos R$ 120 mil.
Também é importante pesquisar muito antes de fechar qualquer negócio. Evite ir na conversa do corretor, que afinal está tentando concluir a venda, e procure saber quanto custam imóveis similares ao que você está procurando. O preço anunciado do imóvel nem sempre está compatível com o que ele realmente vale. Quanto mais informações você tiver, melhor para negociar um desconto.
Sobre o financiamento, Samy afirma que há a expectativa que a taxa básica de juros (Selic) suba no ano que vem, o que encarece o crédito. No entanto, com a lei da portabilidade em vigor, se a pessoa contrair um crédito a 14% e depois de um ano um outro banco oferecer um a 13%, é possível migrar para o mais barato.
Se a dúvida é entre alugar ou comprar através de um financiamento, a dica é calcular a taxa de aluguel do imóvel - ou seja, dividir o valor do aluguel pelo preço do imóvel. Fica mais fácil com um exemplo: o imóvel custa R$ 800 mil e pode ser alugado (sem condomínio e IPTU) por R$ 3.500. Neste caso, a taxa de é 0,44. A taxa é muito baixa se comparada com outros investimentos. A poupança paga 0,5%. Portanto, nesse caso, mesmo que o comprador tenha R$ 800 mil é melhor deixar aplicado e morar de aluguel. Usando o mesmo exemplo, no caso do financiamento, a situação fica pior para quem compra, pois ele pagará de juros por mês uma taxa de pelo menos 1% (R$ 8.000 do valor total financiado). "Resumindo, na atual conjuntura, as taxas de aluguel estão muito baixas e por isso não indico a compra de imóveis", afirma."

Fonte: http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Visao/noticia/2014/08/o-mercado-imobiliario-nao-e-um-bom-investimento.html

Salvador registra 7,5 mil imóveis encalhados




Se você está pensando em comprar um imóvel em Salvador, talvez seja melhor esperar um pouquinho, olha só a reportagem da Exame:

"A agressividade das grandes construtoras na aquisição de áreas na capital foi só o começo e agora Salvador é uma das cidades que mais sentem a crise do mercado.

- As incorporadoras paulistas desembarcaram em Salvador, em 2009, inventando moda e falando bonito, lembra o empresário Luiz Fernando Pessoa, dono da construtora baiana Sertenge.

A agressividade das grandes construtoras na aquisição de áreas na capital baiana foi só o começo de um ciclo que terminou em crise e colocou Salvador como uma das cidades que mais sentiram com o tropeço do mercado imobiliário.

Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi-BA), em 2006, foram lançados 2 mil imóveis na capital - número que saltou para 10 mil em 2010.

Empresas como Cyrela, Gafisa, Rossi e PDG fizeram parceria com construtoras locais para explorar o mercado baiano. Uma delas, entre a Cyrela e a Andrade Mendonça, deu origem ao que era, à época, o maior empreendimento residencial em construção no país, com 1.138 apartamentos de alto padrão em 18 torres, na avenida mais movimentada da cidade.

A partir de 2011, porém, o cenário mudou. Antes mesmo de os indicadores econômicos nacionais começarem a se deteriorar, o mercado imobiliário baiano teve problemas.

O plano diretor de Salvador, aprovado em 2008, foi suspenso, gerando insegurança jurídica. Em 2011, o número de unidades lançadas caiu para 7,8 mil e despencou para 2,3 mil no ano seguinte - patamar que se manteve no ano passado.

"Em junho, estávamos com um estoque de 7,5 mil unidades - quase o dobro do que foi registrado em vendas em 2013", diz Luciano Muricy Fontes, presidente da Ademi. Quase todas as grandes empresas abandonaram os projetos em Salvador.

Aos 67 anos, dono de uma construtora que tem 80% do negócio voltado para a primeira faixa do Minha Casa, Minha Vida (cujo valor do imóvel é 100% subsidiado pelo governo), Pessoa define o que aconteceu em Salvador como uma "hipnose coletiva". "Não entrei nessa, porque sou muito católico e rezo muito. Fui protegido por Deus."

Com receita de R$ 450 milhões em 2013 e 6 mil funcionários, a Sertenge espera a crise passar para voltar a construir imóveis de médio padrão. "Por enquanto, somos filhotes do Minha Casa, e estamos muito bem assim."
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo."

E vem fulaninho me dizer que está tudo bem, que não existe crise no mercado imobiliário, será??

Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Fonte: http://exame.abril.com.br/economia/noticias/salvador-registra-7-5-mil-imoveis-encalhados

Crise imobiliária chega ao mercado de aluguéis



Então, meus amigos, os sinais de desaquecimento do mercado imobiliário estão cada vez mais visíveis, e já chegaram ao mercado de aluguel.

Segundo o Sindicato da Habitação (SECOVI-SP), o valor médio do aluguel na cidade de São Paulo caiu 0,22% de junho para julho. É a primeira queda desde 2005. No acumulado de 12 meses, os aluguéis subiram 6,66%, praticamente igual a inflação (IPCA) .

A queda foi maior em imóveis de 3 dormitórios, nesse caso, a redução média foi de 0,5% quando comparada a julho. Os imóveis de dois quartos tiverem quedas de 0,2% e 0,1% respectivamente.

O tempo médio para alugar um apartamento foi entre 21 e 44 dias, e para alugar casas e sobrados entre 15 a 35 dias.

É meu povo,o que está acontecendo,  não estamos mais ricos??

Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Brasileiro é otário




O relato abaixo já circulou a rede, como estou recebendo muitos pedidos de publicação, aí vai:


"Tenho um amigo que é o feliz proprietário de um carro sueco Volvo. Marca excelente, considerado o carro mais seguro do mundo.
Mas como todo o automóvel, eventualmente apresenta algum problema. Neste caso foi uma pequena  irregularidade no funcionamento do motor. Como o proprietário é engenheiro e gosta do assunto, dedicou-se a pesquisar pessoalmente o que estava ocorrendo. Constatou-se que um dos bicos injetores dos cinco cilindros estava enviando uma quantidade maior de combustível que os demais, o que ocasionava o funcionamento irregular. Bastaria portanto, substituir o bico avariado. Uma peça do tamanho de um isqueiro BIC. Melhor seria a substituição dos cinco bicos. Segundo cotação realizada na Volvo do Brasil, os bicos, no mercado brasileiro, custavam aproximadamente R$ 700/cada – ou seja, R$ 3.500,00 os cinco.
Para tirar a dúvida, nosso amigo resolveu consultar o site internacional de compras E-Bay. E lá encontrou os cinco bicos por apenas US$ 260, mais US$ 34 de frete. Uma diferença absurda, favor do consumidor, onde pagando um, ele levaria os cinco bicos…


Até aqui, nenhuma novidade. Todo o mundo sabe a taxação estratosférica que qualquer produto “importado” para o Brasil paga. A surpresa veio 15 dias depois, quando o produto chegou. Veja a foto. O produto tinha na embalagem a inscrição MADE IN BRAZIL. Fabricado pela BOSCH brasileira.




É aquela política terrível de, como brasileiros, não termos acesso a certos produtos. São apenas “for export”. Ridícula intervenção do Estado na Economia. Num momento em que o país é sacudido de Norte a Sul com o grito de “NÃO AGUENTO MAIS!” , trago mais este ingrediente a pauta de cretinices a que os brasileiros são submetidos diariamente. 
Em plena era da globalização somos uma ilha de explorados economicamente como se tivéssemos os portos (ou os olhos) fechados a produtos das “nações amigas”, como se dizia muito antigamente. E o pior, é que o produto é fabricado aqui, mas não está à disposição dos nativos, nós. Isso é coisa de governos de países TOTALITÁRIOS. Esta é mais uma entre as várias formas pelas quais somos roubados pelo governo. Uma vergonha"

Fonte: 
http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/economia/brasileiro-e-otario/

Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Um golf ou um carro com cara de golf?




A Volkswagen começou mais uma campanha para vender suas carroças em um de seus mercados mais lucrativos: o nosso.



Para tanto, a nobre empresa alemã deu uma maquiagem no velho FOX, modelo com 12 anos de projetos nas costas, e que foi rejeitado no mercado europeu, semelhantemente ao que ela fez com a Kombi, que só se livrou dela quando as leis brasileiras não mais permitiam a continuidade.



Segundo os especialistas do setor, "a linha 2015 do Fox  foi sensivelmente reestilizada, sempre com quatro portas e com clara inspiração no badalado Golf, para subir de nível".

Tudo muito lindo, mas...

Sabe quanto custa essa belezura??

A versão 1.6 Highline custa R$ 63.540 (as versões peladas da carroça,  começam por 35.900, obviamente, até a direção deve ser opcional).

Como somos belos tupiniquins ricos e inteligentes, a expectativa da VW é que o carro fique entre os 10 mais vendidos do país!

O triste é que...por esse preço, eu consigo comprar um GOLF DE VERDADE na gringolândia e AINDA SOBRA $$$, olhem só:






Preços do GOLF :

EUA - R$ 45.800, já com impostos, taxas e transporte (modelo 2.0 L 4 portas)
Europa - R$ 51.925 (Golf 1.2 TSI BlueMotion)
México: R$ R$ 47.279 ( modelo Confortline)

Então, magnata brazuquinha, você prefere pagar em torno de R$ 48 mil por um GOLF, como TODO O MUNDO, ou R$ 64 mil por uma carroça com CARA DE GOLF??

É nobre amigo, até quando vamos viver essa piada??


Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com



Governo tenta injetar dinheiro e salvar o mercado imobiliário




Com a notícia de que o crédito imobiliário esta desacelerando ao longo do ano (porque será???), e que houve uma piora na qualidade dos clientes da Caixa Econômica Federal, com um aumento de 76,3% na inadimplência, chegando ao pico em 5 anos (estou surpreso!! :P ), o Governo Federal anunciou a continuidade da velha política de consumismo para fazer a roda da economia girar (já que ela está andando pra trás).

O, super elogiado pela revista The Economist, Ministro Mantega tomou as seguintes medidas:

1) Resolveu permitir que as pessoas concedam imóveis já quitados como garantia de outra casa própria com recursos da poupança. A expectativa é que somente essa medida gere R$ 16 bilhões em novas operações.

2) Permitiu que os bancos emitam letras imobiliárias para captar mais recursos para compra de imóveis.

3) Incentivou a conceder empréstimos consignados  para trabalhadores de empresas do setor privado.

4) Diminuiu a necessidade de empréstimos compulsórios, o que faz com que os bancos tenham mais $$ para emprestar

5) E por fim, caso tudo dê errado, o governo facilitou a retomada do imóvel pelo banco, ou seja, se der m$$#@$, o banco pega seu imóvel super facilmente,  legal né??

É meu povo, eles insistem na velha política de incentivo a inflação (porque essas operações acima geram inflação) e empurrar com a barriga as reformas necessárias.

Então eu pergunto, magnata brazuquinha com o mínimo de entendimento em economia, empurrar com a barriga, incentivar continuamente o consumo, endividar as famílias, não se importar com a inflação, tentar gerar renda com uma manivela que injeta toda hora recursos na economia, funciona no médio/ longo prazo? Se alguém tiver a resposta, me mande...


Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com

Piores imagens de anúncios imobiliários

E ae meu povo!

Hoje,  vou dar uma dica  pra nos divertirmos um pouco, é  uma página que mostra fotos bizonhas em anúncios de imóveis, a ideia deles é procurar as fotos mais bizarras tiradas para vender casas.

Garimpando aqui no blog, tenho algumas preciosidades, prometo que uma horinha faço uma compilação, mas enquanto isso...

Olhem as belezuras apresentada por site, depois me contem qual a mais bizarra


















Quem quiser mais dessas preciosidades é só clicar em:  http://terriblerealestateagentphotos.com/ (fotos horríveis de corretores de imóveis),


Se tiver sugestões para comparações manda para: estamosricos.blogspot@gmail.com